Jazz Café

Hammond Grooves

sábado | 24_06 22h


groove

cerebral

Daniel Latorre no órgão Hammond B-3, Felipe Galadri na guitarra e Wagner Vasconcelos na bateria apresentam um repertório de SoulJazz que homenageia grandes organistas da história, como Jimmy Smith, Jack McDuff, Dr.Lonnie Smith, Jimmy McGriff, Big John Patton e outros, além de composições do disco FUNKTASTIC que está disponível no iTunes, Dezzer, Spotify e Youtube.


Usando esta linguagem musical, o Hammond Grooves compõe temas próprios mesclando jazz com ritmos brasileiros como maracatú, samba, baião e frevo. Além das autorais, o “organ trio” interpreta também alguns clássicos com sua formaação de órgão Hammond, bateria e guitarra.


Desde 2009, o grupo realiza apresentações em todo o país e no exterior. Entre os festivais que participaram estão: Festival Internacional de Jazz de Asunción, Festival Internacional de Jazz de Paraty, Jazz na Fábrica/SP, Samsung Blues Festival entre outros.


Com Daniel Latorre (órgão Hammond B3), Felipe Galadri (guitarra) e Wagner Vasconcelos (bateria).


Entrada: R$35

Ingresso na porta:R$35

Próximos Shows:

sábado | 24_06 12h30h00

JazzBB Junino com Brasileirinhos de Paulo Bira

Um brunch para famílias com bebês e crianças pequenas ao som de um jazz de primeira! Na casa, toda a infraestrutura para receber os pequenos ouvintes: show com volume reduzido, banheiro com trocador, tapetes no chão e muito mais. Traga seu filhote para degustar boa música desde cedo!
 
Em junho, todos os sábados terão a série especial de JazzBB Junino. Às tardes de música e gastronomia para toda a família, vêm em clima e sabor de uma das mais importantes e queridas festas tradicionais de nosso país. Nesta tarde, recebemos “Brasileirinhos - Música para os bichos do Brasil”.

Nesta tarde especial de JazzBB Junino, o grupo mescla repertório autoral e clássicos nordestinos. No trabalho autoral, um passeio pela fauna Brasileira com canções, histórias e curiosidades sobre animais brasileiros, sempre com leveza e bom humor. Busca cativar as crianças com a graça das canções e despertar sua curiosidade sobre a rica, porém tão ameaçada, fauna brasileira.
O projeto surgiu a partir da série de livros ”Brasileirinhos” (Ed. Cosac & Naify), do poeta Lalau e de sua parceira ilustradora Laurabeatriz, que mostra às crianças mamíferos, aves, répteis e insetos que, infelizmente, integram as listas de animais em extinção em nosso país. Paulo Bira musicou vários desses poemas/bichos no CD homônimo lançado em 2010 que foi um dos 5 indicados ao prêmio Grammy Latino 2010 na categoria “melhor álbum de música para crianças”. Em 2013, lançaram, Brasileirinhos vol. 2 com participações de Chico César, Ceumar, André Abujamra, Marcelo Pretto, Marco Mattoli, Miriam Maria, entre outros.
Seremos eu - voz e violão, Simone Julian (voz e sopros), Kennya Macedo (voz), Edu Diegues (baixo), Guegué Medeiros (percussão) e convidado especial, Daniel Grajew (sanfona).            
 
Abertura da casa: 12h | Duas entradas: 12h30 às 13h15 e das 14h30 às 15h15.
Entrada: R$25 (a partir de 16 anos), R$ 12,50 (11 a 15 anos), entrada franca (até 10 anos).

Opção de Menu ou de buffet (que é servido das 12h às 16h). 
Buffet: R$45 (adultos a partir de 16 anos, de 7 a 15 anos paga R$ 20,00)
Crianças até 7 anos de idade: gratuito tanto show quanto buffet;
        


Entrada: R$R$25 (a partir de 16 anos), R$ 12,50 (11 a 15 anos), entrada franca (até 10 anos).

segunda | 26_06 21h

Escalandrum - segundo show especial

Um dos mais renomado grupos argentinos, ESCALANDRUM, criado por Daniel “Pipi” Piazzolla, neto de Astor Piazzolla, apresentou-se no JazzB pela primeira vez na última quarta-feira (21).

Devido ao enorme sucesso, estamos abrindo uma segunda noite de show para quem perdeu a oportunidade anterior!
O nome do grupo surgiu da mistura de “Escalandrún” (uma espécie de tubarão que “Pipi” pesca com seu pai Daniel, atividade familiar iniciada pelo avô), e “drum (tradução de “tambor” em inglês). Com 15 anos de carreira, o grupo possui 8 álbuns autorais lançados e tem se apresentado nos principais teatros da Argentina, Espanha e América Latina, dividindo palco com reonomados artistas como Enrico Rava, Dave Holland e John Scotfield; e foi colocado pela Fundación Konex, entre os 100 mais destacados na última década da música popular Argentina. 

Em 2011 editam o notável Piazzolla Plays Piazzolla, disco único que une o tango e o jazz de uma maneira muito fluida. É o tributo de ESCALANDRUM ao grande Astor Piazzolla. ESCALANDRUM apresentou oficialmente este disco em Buenos Aires, no teatro Gran Rex para 3000 pessoas, contando com as participações especiais de Paquito D ́Rivera, recebendo uma ampla aceitação do público e jornalistas como nunca antes tinha tido um grupo de jazz ou tango na Argentina.

Em 2012 receberam a nominação aos Latin Grammy Awards na categoria “Melhor Album Instrumental”, competindo na mesma categoria com Chick Corea e Al Di Meola. No mesmo ano ESCALANDRUM fez uma turnê mundial que incluiu duas turnê pela Europa, Israel, e uma serie de ações em Nova York onde o ponto mais alto foi o show no mítico “Birdland” junto a cantora Ute Lemper e Paquito D` Rivera.

O projeto “Piazzolla Plays Piazzolla” ganhou ainda 3 vezes nos Prêmios Gardel (os prêmios mais importantes da música na Argentina), como “Melhor álbum de Jazz”, “Melhor álbum do ano” e o aclamado “Gardel de Ouro”. Este último premio foi ganho por grandes da música Popular Argentina como Mercedes Sosa, Luis Alberto Spinetta, Charly García e Fito Páez.

Seu mais recente trabalho autoral, “Vertigo”, contém composições originais e um som próprio, sem perder a tradição do jazz. Atualmente dedicam-se ao próximo disco, que contará com participações de artistas brasileiros.

Com Daniel “Pipi‟ Piazzolla (batería), Mariano Sívori (contrabaixo), Martín Pantyrer (clarinete baixo e sax barítono), Nicolás Guerschberg (piano), Damián Fogiel (sax tenor) e Gustavo Musso (sax alto e sax soprano).


Entrada: R$45

1° set: 21h 2° set: 22h30

quarta | 28_06 21h

ZumDois com Suzana Salles e Paulo Padilha

Neste show Paulo Padilha e Suzana Salles celebram uma longa história de cumplicidade, alinhavando um repertório que une canções de Paulo Padilha, Suzana Salles, parcerias de ambos, canções de Luiz Tatit, Arrigo Barnabé, Irving Berlin, Cátia de França e mais algumas novidades, terminando em clima de carnaval. Um violão. Duas vozes. Zoom na canção.. O som da palavra, a língua no dente, o dedo na corda. O texto na cara, a cara da canção. Duas vozes paulistanas que se cruzam desde outros carnavais e revelam o que as canções escondem com a naturalidade de quem conta uma história no bar. De perto e sem truques. Com leveza, sutileza, simplicidade e humor. 
A parceria surgiu nos anos 90, tempo em que Padilha era baixista do Grupo Aquilo Del Nisso. Paulo Padilha participou como baixista e arranjador do primeiro CD solo da cantora, Suzana Salles. A partir daí, muitos encontros se sucederam, como no carnaval de 2015, quando ficaram entre as três finalistas do Concurso Nacional de Marchinhas apresentado no Fantástico com a canção ‘Fucei seu Feice’. 
Paulo Padilha é cantor e compositor com quatro CDs gravados e canções nas vozes de grandes cantores como Simone, Daúde, Suzana Salles, Juçara Marçal, Palavra Cantada e Marcos Sacramento. Suas marchinhas ‘Áio no Ôio’ e ‘Fucei seu Feice’ estão entre as three tops no Concurso de Marchinhas do Fantástico nos anos de 2013 e 2015. Acaba de voltar de turnê de 80 dias nos EUA, lançando seu mais recente trabalho ‘Na Lojinha de Um Real Eu me Sinto Milionário’. 
Suzana Salles é importante representante da Vanguarda Paulista dos anos 80. Atuou ao lado de Itamar Assumpção e Arrigo Barnabé. Eclética, com cinco CDs gravados, transita com naturalidade entre a vanguarda paulista, as marchinhas de carnaval, o repertório alemão de Brecht/Weil e a música caipira de raiz. É idealizadora da Semana da Canção de São Luiz do Paraitinga.
Com Paulo Padilha (voz e violão) e Suzana Salles (voz). 


Entrada: R$25

1° set: 21h 2° set: 22h30

Lista: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

quinta | 29_06 21h

KintetodoNenê

Realcino Lima Filho, mais conhecido como Nenê, é um dos mais experientes músicos brasileiros em atividade. Seus 50 anos de carreira incluem atuações como baterista em discos históricos de artistas como Hermeto Pascoal, Elis Regina e Egberto Gismonti e também uma brilhante trajetória como compositor à frente do Nenê Trio. 
 
A música de Nenê tem uma sonoridade única, marcada por uma especial adaptação de elementos polirrítmicos aos ritmos tradicionais brasileiros, bem como por harmonias e melodias sofisticadas. 
 
As composições de Nenê serão apresentadas pelo KintetodoNenê, grupo que surgiu da convivência com jovens e talentosos músicos que em 2016 nasceu. O  quinteto é formado também por Fabio Leandro (piano), Jakson Silva (contrabaixo), Rodolfo Guilherme (trompete), Gustavo Benedetti (sax).
 
Natural de Porto Alegre, Nenê começou a tocar bateria aos 15 anos. Mudou-se para São Paulo e logo entrou para o histórico Quarteto Novo. Em seguida tocou e gravou com Elis Regina seu aclamado disco ‘Falso Brilhante’, com Milton Nascimento o disco ‘Clube da Esquina 2’ e com Hermeto Pascoal em seus discos ‘Zabumbê-Bum-A’ e ‘Ao Vivo em Montreux’. Em 1980, entrou para o grupo de Egberto Gismonti. 
 
Em 1982, mudou-se para Paris, onde começou a carreira de compositor e lançou seu primeiro disco: ‘Bugre’, considerado pela crítica francesa um dos 10 melhores lançamentos do ano. Permaneceu na Europa, onde atuou ainda com Kenny Wheeler, Charlie Haden e Steve Lacy. Retornou ao Brasil em 1995, retomando a atividade como instrumentista e estabelecendo-se como compositor. Formou o Nenê Trio em 2001 e desde então se apresentou em eventos como o Projeto Pixinguinha e em festivais como o Amazonas Jazz Festival, Festival Choro Jazz de Jericoacoara, Festival de Itajaí e Festival de Curitiba.
 
Com Nenê (bateria, arranjos e composições), Rodolfo Guilherme (trompete), Gustavo Benedetti (sax), Fabio Leandro (piano), Jakson Silva (contrabaixo).


Entrada: R$35

1° set: 21h 2° set: 22h30

Lista: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!