Jazz Café

Série Especial: Violões com Alessandro Penezzi e Zé Barbeiro | Edição VioLão de 7 cordas

terça | 23_05 21h


brasileira

cerebral

Dando sequência à série dedicada ao violão, nesta edição todo o protagonismo vai para a sua versão 7 cordas com o show de dois grandes expoentes deste instrumento, os exímios violonistas Alessandro Penezzi e Zé Barbeiro. O duo apresentará suas composições em arranjos preparados especialmente para essa formação.  

Alessandro é considerado um dos violonistas mais impressionantes da atualidade seja por sua técnica apurada, virtuosismo ou composições. Seus discos têm contado com participações ilustres como a de Ulisses Rocha, Beth Carvalho, Yamandu Costa, Amélia Rabello, Arismar do Espírito e Sizão Machado. E seu terceiro álbum, Sentindo, foi indicado ao Prêmio da Música Brasileira na categoria Melhor Solista Em 2011, abriu o show de Wayne Shorter, na 30ª edição do Spokje Jazz Festival, na Macedônia.

Zé Barbeiro é originário da tradição oral/ musical das rodas de choro e um importante ator da cena musical de São Paulo desde 1976, tendo influenciado importantes jovens músicos da cidade. Hoje é considerado um dos principais violonistas tradicionais de choro do Brasil e a partir de 2004 começou a escrever sua obra, arranjar, dirigir e gravar com diferentes músicos. Atualmente possui uma obra consistente e vem recebendo o reconhecimento como um dos principais compositores do choro.


Com Alessandro Penezzi e Zé Barbeiro (violões).

Entrada: R$25

Ingresso na porta: 25

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$20

Próximos Shows:

quarta | 24_05 21h

Tributo a Ella Fitzgerald por Haley Peltz e Quarteto Feiticeiro

EU PASSO O TEMPO TODO COM ELLA


Uma homenagem musical aos 100 anos da “primeira dama da canção”
Ella Fitzgerald teve uma carreira vigorosa em que gravou mais de 2000 músicas. Pioneira do scat singing, ela forjou um estilo de interpretação, incorporando a linguagem do jazz instrumental na canção popular. Após crescer durante a Grande Depressão americana, aos 22 anos Ella já liderava sua própria orquestra. Ela cresceria para se tornar uma das personalidades mais influentes da música contemporânea. Com voz e visão musical privilegiadas, Ella foi uma mulher que de acordo com qualquer padrão atingiu o inimaginável.


Haley Peltz e o Quarteto Feiticeiro - formado por Igor Pimenta (contrabaixo), Daniel Szafran (piano), Claudio Faria (trompete e flugelhorn) e Edu Nali (bateria) -, apresentarão um show de parabéns à esse fenômeno musical. Além de composições da própria Ella, o repertório consiste em canções que marcaram sua carreira escritas por outras “grandes”, tais quais Dorothy Fields, Gertrude “Ma” Rainey, Ann Ronell, Bernice Petkere; bem como por seus parceiros musicais Duke Ellington, Harold Arlen, Cole Porter, entre outros.


A homenageante, Haley Peltz, norte-americana, faz parte da nova geração de cantoras que como suas predecessoras foi positivamente influenciada pelo espírito inovador de Ella. Recentemente no Brasil, Haley foi selecionada em primeiro lugar no Concurso de Canto Popular 2016 da EMESP por Arrigo Barnabé, Paulo Braga e Breno Ruiz; ela dividiu o palco ou fez participações como coralista em shows de: André Mehmari, Vanessa Moreno, Lívia Nestrovski, Eduardo Taufic, Antônio de Padua e Lupa Santiago. Ela também estudou com Kurt Elling, Bob Stoloff, Andrea dos Guimarães, Sizão Machado e Zé Luiz Mazziotti.


Com Haley Peltz (voz), Igor Pimenta (contrabaixo), Daniel Szafran (piano), Claudio Faria (trompete e flugelhorn) e Edu Nali (bateria).



Entrada: R$25

sexta | 26_05 22h

Sambop Brass | Show de aniversário de Nailor Proveta e François de Lima

Nessa noite celebraremos os aniversários de dois grandes músicos do Sambop Brass: Nailor Proveta e François de Lima. Formação precursora da Banda Mantiqueira, liderada ainda por Walmir Gil ao lado de François e Proveta, Sambop Brass volta ao palco do JazzB!

A história da união destes grandes instrumentistas começa por volta de 1983, quando o Proveta e outros músicos moravam em uma república no Bixiga. Em 1985, formaram a Banda Aquarius e depois veio o Sambop Brass, quando François, Proveta e Walmir Gil acompanhavam o grupo de pagode Arte Final. Nestes longos encontros no camarim eles tocavam temas de jazz e os percussionistas do grupo colocavam o ritmo do samba. “Era a mais pura fusão do samba, do bebop, do jazz e dos metais!”, relembra François.

Segundo Proveta, líder da Banda Mantiqueira, parte da experiência se deu pela enorme influência dos grandes músicos do jazz e de mestres brasileiros como Maestro Branco, Laércio de Freitas, Maestro Nelson Ayres, Maestro Sion, Professor Claudio Leal, Edson Alves – “todas essas pessoas que lutavam pela música instrumental”, completa Proveta.

Nesta noite de mais puro espírito livre do jazz, com arranjos de Proveta, Sambop Brass apresenta “Giant Steps” de John Coltrane, “Donna Lee” e “Ornithology” do Charlie Parker, “Cerrado” do Djavan, “Tenor Madness” do Sonny Rollins e “Fogo na Roupa” do Altamiro Carrilho.

Noite muito especial no JazzB!

Com François de Lima (trombone), Nailor Proveta (saxofone), Walmir Gil (trompete),  Josué dos Santos (saxofone), Carlos Roberto Oliveira (piano), Celso de Almeida (bateria) e Pedro Ivo Lunardi (baixo).


Entrada: R$35

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$25

sábado | 27_05 12h30

JazzBB com Makiko Yoneda Trio

Um brunch para famílias com bebês e crianças pequenas ao som de um jazz de primeira! Na casa, toda a infraestrutura para receber os pequenos ouvintes: show com volume reduzido, banheiro com trocador, tapetes no chão e muito mais. Traga seu filhote para degustar boa música desde cedo!

Neste sábado convidamos a pianista Makiko Yoneda para fazer um JazzBB com repertório só de música brasileira: choros, bossas, sambas, baiões e composições autorais. Makiko é uma estudiosa e entusiasta da música brasileira - sobretudo do choro - e para esse show estará ao lado de Gabriel Deodato (violão de 7 cordas) e Claudinho Martins (percussões).

Nascida na cidade de Chiba (Japão), Makiko estudou piano clássico dos 3 aos 18 anos. No entanto, avessa ao excesso de formalidades da música erudita, resolveu seguir outro caminho na sua busca profissional.Viajou por muitos países e desde 2011 vive em São Paulo e faz regularmente visitas ao Japão. Foi convidada pelo violonista Zé Barbeiro a integrar o Quinteto do Zé, grupo com o qual Makiko gravou o álbum ‘Sem Massagem’, lançado em 2016. Participa do projeto Duos da flautista Marta Ozzetti executando obras inéditas e do quarteto do virtuose cavaquinhista Messias Britto, intitulado Baianato. Em 2015 lançou seu primeiro disco solo ‘Wa’ com o qual excursionou pelo Japão.

“Passei muito tempo procurando qual a contribuição eu poderia dar para a sociedade. Com a música, agora eu encontrei.” Makiko Yoneda

Com Makiko Yoneda (piano), Gabriel Deodato (violão de 7 cordas) e Claudinho Martins (percussões).


Entrada: R$25 (adulto) | 11 a 15 anos: R$ 12,50 | Até 10 anos: gratuito

quarta | 31_05 21h

Passarim 30 por Kika, João Leão e Tika | Especial Jobim90anos

Dando sequência à série de homenagens a Tom Jobim que completaria 90 anos em 2017, apresentamos Tika, João Leão e Kika, que traz o show Passarim 30, uma releitura do álbum "Passarim" de Jobim, que este ano celebra 30 anos. Acompanhados do percussionista Igor Caracas, eles mergulham com fidelidade nos caminhos harmônicos e arranjos vocais originais, apresentados sob uma roupagem minimalista e contemporânea. Canções inesquecíveis compõem o álbum e o show, como "Gabriela", "Luiza" e "Anos Dourados".


Lançado em 1987, o disco solar, com temas ecológicos, foi gravado com a Banda Nova -  grupo criado por Jobim para acompanhá-lo, composto por membros da família Jobim, Morelenbaum e Caymmi com destaque para o quinteto vocal feminino. O álbum foi Disco de Ouro, vendendo mais de 100 mil cópias. 


Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (1927-1994), pianista, compositor, maestro, arranjador, trazia o sofisticado diálogo entre o popular e o erudito. De Garota de Ipanema - uma das música mais tocadas no mundo e vencedora de Grammy -, passando pelo reconhecimento de Frank Sinatra e Cole Porter, ou pelas parcerias com Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Radamés Gnatalli, Dorival Caymmi e Cesar Camargo Mariano, até o Jobim Sinfônico, Jobim deixa um legado inesquecível à música brasileira seja na Bossa Nova, seja nos discos que olham para o Brasil profundo, como em Matita Perê. 


Tika, João Leão e Kika são músicos, cantores e compositores atuantes na cena artística independente de São Paulo. O ponto comum entre os três é a base de sua formação musical estar enraizada pela linguagem da bossa nova, através da influência dos mestres João Gilberto e Tom Jobim. Em meados de 2016 o trio reuniu-se para idealizar uma homenagem aos trinta anos do álbum "Passarim". Após seis meses de imersão nos arranjos originais do disco, o grupo estreou o projeto em dezembro em São Paulo com a participação de Igor Caracas. Em março de 2017 lançaram seu primeiro vídeo via Facebook que alcançou 20 mil visualizações na primeira semana.


Com Tika (voz e violão), João Leão (voz e teclados), Kika (voz e synth) e Igor Caracas (bateria e percussão).


Entrada: R$25

quinta | 01_06 21h

Gui Duvignau Quarteto

Gui Duvignau é contrabaixista, compositor e arranjador formado na Berklee College of Music (Boston, EUA). Virá ao JazzB apresentar composições autorais e algumas releituras de composições de Thelonius Monk, Charles Mingus e Sam Rivers, buscando sempre desenvolver ao máximo a interação entre os músicos e a espontaneidade ao lado de seu quarteto formado por .Josué dos Santos (saxofone), Vinicius Gomes (guitarra) e Pedro Ito (bateria).  


Gui é produtor, arranjador e compositor do disco ‘Porto’ (2010), gravado em parceria com a cantora portuguesa Sofia Ribeiro. É um dos membros fundadores da banda de rock parisiense Balinger, com a qual se apresentou nos prestigiosos festivais ‘Solidays’, ‘Rock en Seine’ e ‘Printemps de Bourges’. O seu segundo disco autoral, ‘Fissura’, gravado com os músicos, Jonathan Orland, Julien Pontvianne, Federico Casagrande, Thomas Caillou e Thibault Perriard, acaba de ser lançado pelo selo francês Onze Heures Onze em abril de 2016.


Após ter vivido dez anos nos EUA e na Europa, Gui Duvignau vive atualmente em São Paulo onde continua o seu trabalho como contrabaixista, arranjador e compositor em diversos projetos, como o trio do baterista Carlos Ezequiel, além de liderar o seu próprio trio e quarteto. Já se apresentou em diversos países tais quais Espanha, Portugal, França, Bélgica, Holanda, Polônia, Alemanha, Suécia, Estados Unidos e Brasil.


Com Gui Duvignau (contrabaixo), Josué dos Santos (saxofone), Vinicius Gomes (guitarra) e Pedro Ito (bateria).



Entrada: R$35

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$25

quarta | 21_06 21h

Escalandrum

Um dos mais renomado grupos argentino, ESCALANDRUM, criado por Daniel “Pipi” Piazzolla, neto de Astor Piazzolla, apresenta-se no JazzB pela primeira vez, em única noite. 

O nome do grupo surgiu da mistura de “Escalandrún” (uma espécie de tubarão que “Pipi” pesca com seu pai Daniel, atividade familiar iniciada pelo avô), e “drum (tradução de “tambor” em inglês). Com 15 anos de carreira, o grupo possui 8 álbuns autorais lançados e tem se apresentado nos principais teatros da Argentina, Espanha e América Latina, dividindo palco com reonomados artistas como Enrico Rava, Dave Holland e John Scotfield; e foi colocado pela Fundación Konex, entre os 100 mais destacados na última década da música popular Argentina. 

Em 2011 editam o notável Piazzolla Plays Piazzolla, disco único que une o tango e o jazz de uma maneira muito fluida. É o tributo de ESCALANDRUM ao grande Astor Piazzolla. ESCALANDRUM apresentou oficialmente este disco em Buenos Aires, no teatro Gran Rex para 3000 pessoas, contando com as participações especiais de Paquito D ́Rivera, recebendo uma ampla aceitação do público e jornalistas como nunca antes tinha tido um grupo de jazz ou tango na Argentina.

Em 2012 receberam a nominação aos Latin Grammy Awards na categoria “Melhor Album Instrumental”, competindo na mesma categoria com Chick Corea e Al Di Meola. No mesmo ano ESCALANDRUM fez uma turnê mundial que incluiu duas turnê pela Europa, Israel, e uma serie de ações em Nova York onde o ponto mais alto foi o show no mítico “Birdland” junto a cantora Ute Lemper e Paquito D` Rivera.

O projeto “Piazzolla Plays Piazzolla” ganhou ainda 3 vezes nos Prêmios Gardel (os prêmios mais importantes da música na Argentina), como “Melhor álbum de Jazz”, “Melhor álbum do ano” e o aclamado “Gardel de Ouro”. Este último premio foi ganho por grandes da música Popular Argentina como Mercedes Sosa, Luis Alberto Spinetta, Charly García e Fito Páez.

Seu mais recente trabalho autoral, “Vertigo”, contém composições originais e um som próprio, sem perder a tradição do jazz. Atualmente dedicam-se ao próximo disco, que contará com participações de artistas brasileiros.

Com Daniel “Pipi‟ Piazzolla (batería), Mariano Sívori (contrabaixo), Martín Pantyrer (clarinete baixo e sax barítono), Nicolás Guerschberg (piano), Damián Fogiel (sax tenor) e Gustavo Musso (sax alto e sax soprano).



Entrada: R$45