Jazz Café

Fábio Gouvêa Quinteto

terça | 30_05 21h


brasileira

contemplativo

“Método do acaso” é o nome do novo trabalho do guitarrista sorocabano Fabio Gouvea, que lidera o Fabio Gouvea Quinteto e que conta com grande time: Cleber Almeida na bateria, parceiro de longos anos de Fabio ao lado do Trio Curupira, Felipe Brisola no contrabaixo acústico, Beto Corrêa ao piano e Dô de Carvalho no saxofone. 
                        
A idéia do projeto surgiu através do convite feito pelo selo Blaxtream ao músico, no sentido de gravar o seu quarto CD solo. A gravação foi realizada no final de 2016 será lançada no primeiro semestre de 2017.
                        
O repertório do show é composto por 8 músicas, a mesma composição do CD, sendo 6 autorais de Gouvea, “Moema morenou”, de Paulinho da Viola e “Camisa 10”, de Beto Corrêa.
                        
Fabio Gouvea Quinteto conta com Cleber Almeida na bateria, parceiro de longos anos de Fabio ao lado do Trio Curupira, Felipe Brisola no contrabaixo acústico, Beto Corrêa ao piano e Dô de Carvalho no saxofone. 
                    
Com Fabio Gouvea (guitarra), Cleber Almeida (bateria), Felipe Brisola (contrabaixo acústico), Beto Corrêa (piano) e Dô de Carvalho (saxofone). 

Entrada: R$25

Ingresso na porta: 25

Próximos Shows:

quarta | 31_05 21h

Passarim 30 por Kika, João Leão e Tika | Especial Jobim90anos

Dando sequência à série de homenagens a Tom Jobim que completaria 90 anos em 2017, apresentamos Tika, João Leão e Kika, que traz o show Passarim 30, uma releitura do álbum "Passarim" de Jobim, que este ano celebra 30 anos. Acompanhados do percussionista Igor Caracas, eles mergulham com fidelidade nos caminhos harmônicos e arranjos vocais originais, apresentados sob uma roupagem minimalista e contemporânea. Canções inesquecíveis compõem o álbum e o show, como "Gabriela", "Luiza" e "Anos Dourados".


Lançado em 1987, o disco solar, com temas ecológicos, foi gravado com a Banda Nova -  grupo criado por Jobim para acompanhá-lo, composto por membros da família Jobim, Morelenbaum e Caymmi com destaque para o quinteto vocal feminino. O álbum foi Disco de Ouro, vendendo mais de 100 mil cópias. 


Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim (1927-1994), pianista, compositor, maestro, arranjador, trazia o sofisticado diálogo entre o popular e o erudito. De Garota de Ipanema - uma das música mais tocadas no mundo e vencedora de Grammy -, passando pelo reconhecimento de Frank Sinatra e Cole Porter, ou pelas parcerias com Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Radamés Gnatalli, Dorival Caymmi e Cesar Camargo Mariano, até o Jobim Sinfônico, Jobim deixa um legado inesquecível à música brasileira seja na Bossa Nova, seja nos discos que olham para o Brasil profundo, como em Matita Perê. 


Tika, João Leão e Kika são músicos, cantores e compositores atuantes na cena artística independente de São Paulo. O ponto comum entre os três é a base de sua formação musical estar enraizada pela linguagem da bossa nova, através da influência dos mestres João Gilberto e Tom Jobim. Em meados de 2016 o trio reuniu-se para idealizar uma homenagem aos trinta anos do álbum "Passarim". Após seis meses de imersão nos arranjos originais do disco, o grupo estreou o projeto em dezembro em São Paulo com a participação de Igor Caracas. Em março de 2017 lançaram seu primeiro vídeo via Facebook que alcançou 20 mil visualizações na primeira semana.


Com Tika (voz e violão), João Leão (voz e teclados), Kika (voz e synth) e Igor Caracas (bateria e percussão).


Entrada: R$25

quinta | 01_06 21h

Gui Duvignau Quarteto

Gui Duvignau é contrabaixista, compositor e arranjador formado na Berklee College of Music (Boston, EUA). Virá ao JazzB apresentar composições autorais e algumas releituras de composições de Thelonius Monk, Charles Mingus e Sam Rivers, buscando sempre desenvolver ao máximo a interação entre os músicos e a espontaneidade ao lado de seu quarteto formado por .Josué dos Santos (saxofone), Vinicius Gomes (guitarra) e Pedro Ito (bateria).  


Gui é produtor, arranjador e compositor do disco ‘Porto’ (2010), gravado em parceria com a cantora portuguesa Sofia Ribeiro. É um dos membros fundadores da banda de rock parisiense Balinger, com a qual se apresentou nos prestigiosos festivais ‘Solidays’, ‘Rock en Seine’ e ‘Printemps de Bourges’. O seu segundo disco autoral, ‘Fissura’, gravado com os músicos, Jonathan Orland, Julien Pontvianne, Federico Casagrande, Thomas Caillou e Thibault Perriard, acaba de ser lançado pelo selo francês Onze Heures Onze em abril de 2016.


Após ter vivido dez anos nos EUA e na Europa, Gui Duvignau vive atualmente em São Paulo onde continua o seu trabalho como contrabaixista, arranjador e compositor em diversos projetos, como o trio do baterista Carlos Ezequiel, além de liderar o seu próprio trio e quarteto. Já se apresentou em diversos países tais quais Espanha, Portugal, França, Bélgica, Holanda, Polônia, Alemanha, Suécia, Estados Unidos e Brasil.


Com Gui Duvignau (contrabaixo), Josué dos Santos (saxofone), Vinicius Gomes (guitarra) e Pedro Ito (bateria).



Entrada: R$35

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$25

sábado | 03_06 12h30

JazzBB Junino com Trio Canjica

Um brunch para famílias com bebês e crianças pequenas ao som de um jazz de primeira! Na casa, toda a infraestrutura para receber os pequenos ouvintes: show com volume reduzido, banheiro com trocador, tapetes no chão e muito mais. Traga seu filhote para degustar boa música desde cedo!

Em junho, todos os sábados terão a série especial de JazzBB Junino. Às tardes de música e gastronomia para toda a família, vêm em clima e sabor de uma das mais importantes e queridas festas tradicionais de nosso país. Nesta tarde, recebemos o Trio Canjica. 

A partir do encontro de músicos ecléticos e que ao mesmo tempo alimentavam uma grande proximidade do forró nasceu em 2016 o Trio Canjica. Cris Bosch (voz, triângulo e pandeiro), Ricardo Pesce (sanfona) e Zé Neto (zabumba) executam com maestria os clássicos do forró - composições de Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Trio Nordestino, João do Vale, Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Gordurinha, Dominguinhos, Anastácia - e também músicas de Djavan, João Donato e Caetano Veloso. 

A música instrumental também está presente no show representando diversos nomes que marcaram a sanfona brasileira: Hermeto Pascoal, Camarão e novamente Dominguinhos, entre outros. Entre tanta variedade de forrós, xotes, baiões, arrasta-pés e MPB, o trio ainda mostra canções e músicas instrumentais de própria autoria, temas juninos e canções para o público infantil.

Cris Bosch é cantora, percussionista e compositora. Participou em diversos shows dos artistas: Antônio Nóbrega, Palavra Cantada, Fernanda Porto como coro feminino e percussionista. Atua em diversos espetáculos infantis, ganhou o Prêmio APCA 2013 coletivo de Melhor Atriz em Teatro Infantil. 

Ricardo Pesce é pianista, acordeonista e compositor, integrante dos grupos Jogando Tango e Araticum, tocou com artistas como Bibi Ferreira, Theo de Barros, Wagner Tiso. Recebeu o prêmio de “Melhor Músico Acompanhador” no Festival de Música da Faculdade Santa Marcelina (FASMúsica 2007).


Zé Neto, percussionista e baterista, referência de zabumba no Brasil, vive o forró desde 1980, quando começou a tocar com o pai, o cantor e compositor Benício Guimarães. Tocou com os grandes nomes do forró, dentre eles: Dominguinhos, Marinês, Anastácia, Elba Ramalho, Alceu Valença.

Com Cris Bosch (voz, triângulo e pandeiro), Ricardo Pesce (sanfona) e Zé Neto (zabumba).



Entrada: R$25 (adulto) | 11 a 15 anos: R$ 12,50 | Até 10 anos: gratuito

quarta | 07_06 21h

Larissa Finocchiaro | Projeto 'Essas Mulheres'

Idealizado pela cantora Larissa Finocchiaro, o Projeto “Essas Mulheres” nasce de uma inquietação e de um desejo: reunir canções de algumas das compositoras e letristas brasileiras que fazem parte da trajetória musical da integrantes do grupo. Temas variados, de forças d’Alma ao amor renovado, do caos urbano ao canto da terra, do batuque brasileiro à delicadeza de mil lágrimas. O grupo é também formado por Ana Rodrigues (piano e sanfona), Clara Bastos (contrabaixo) e Priscila Brigante (bateria e percussão) e contará com a participação especial de Vanessa Moreno.


As mulheres vem falando sobre muitas coisas no universo musical e aqui, captamos algumas dessas dimensões, seja na escolha do repertório, na sonoridade buscada, na conversa entre as musicistas que compõem o grupo. Dentre tantas compositoras e letristas brasileiras, aqui há um pequeno recorte e um repertório que traz canções de Joyce, Ana Terra, Dolores Duran, Verônica Ferriani, Dani e Débora Gurgel, Fátima Guedes, Ana Paula da Silva, Dona Ivone Lara, dentre outras. 


Larissa Finocchiaro iniciou sua prática musical no Projeto Guri aos 15 anos, onde conheceu seus primeiros parceiros musicais para formar o grupo vocal Karallargá – com Vanessa Moreno, Caio Merseguel e Victor Merseguel, com quem se apresentou em centros culturais, festivais, SESCs e SESIs. Gravou um disco com participação de Filó Machado e participou do CD “Prisma”, no qual interpretou composições suas em parceria com o violonista Bruno Conde. Atualmente, integra projetos musicais como Saraivada de Chico Saraiva e a Orquestra do Corpo dirigida pelo Fernando Barba e Stênio Mendes, e prepara-se para gravar seu primeiro disco autoral com produção musical e arranjos do baixista Fi Maróstica. 


Com Larissa Finocchiaro (voz), Ana Rodrigues (piano e sanfona), Clara Bastos (contrabaixo), Priscila Brigante (bateria e percussão) e participação de Vanessa Moreno (voz).


Entrada: R$25

1° set: 21h 2° set: 22h30

quinta | 08_06 21h

Abelita Mateus Trio

A talentosa pianista, cantora e compositora paulistana e residente de Nova York Abelita Mateus vem ao palco do JazzB apresentar o repertório do seu álbum ‘Vivenda’, que será lançado em setembro em NY. Ao seu lado estarão Thiago Alves (baixo acústico) e Paulinho Vicente (bateria).


Abelita estudou piano clássico na adolescência e gradualmente desenvolveu uma paixão pelo jazz. No Brasil,ela se apresentou com grandes artistas como Vinicius Dorin, Raul de Souza e Hermeto Pascoal. Vivendo em Nova York desde 2012, Abelita está aplicando os novos sons jazzísticos em sua própria música, como intérprete e compositora.


Abelita é atualmente a pianista da Dizzy Gillespie Afro-Cuban Experience, dirigida por John Lee, com quem tem se apresentado em casas como o Blue Note em New York, o Kennedy Center em Washington DC, o Hollywood Bowl em Los Angeles, o Yoshi's Jazz Club em San Francisco, o Ronnie Scott em Londres, o Luna Classics e Musig Am Zurisee Jazz Festivals Na Suíça. Tem ainda tocado com John Lee, Claudio Roditi, Tommy Campbell, Sharel Cassity e Dizzy Gillespie Big Band.


“Sua arte no piano é notável, ela é uma talentosa compositora e vocalista. Ela faz parte da próxima geração de grandes músicos brasileiros", Romero Lubambo.

Com Abelita Mateus (voz e piano), Thiago Alves (baixo acústico) e Paulinho Vicente (bateria).



Entrada: R$35

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$25

Lista: com nome na lista os primeiros 15 clientes a chegarem ganham uma cerveja long neck!

sexta | 09_06 22h

Grand Bazaar

Após o lançamento do primeiro disco, em 2014, o Grand Bazaar lança um novo álbum ‘Grand Bazar – II’ com 8 composições instrumentais autorais e uma canção inédita ‘O Tesouro do Gran Marajá’ de André Vac, além de uma versão do clássico “Pagode Russo” de Luiz Gonzaga e João Silva.


Inspirados pela tradição musical dos países dos Bálcãs, pela música cigana, árabe, judaica e outras culturas próximas e com forte influência de bandas referências do estilo como Emir Kusturica, Gogol Bordelo, Taraf de Haidouks e também de grupos brasileiros que investigam esse tipo de sonoridade, como o Karnak, André Abujamra e Mutrib, o Grand Bazaar faz nesse novo disco um passeio por este rico universo musical e explora novas possibilidades, flertando com o jazz-rock e a música brasileira, o baião e o carimbó.


Fruto de apresentações intensas, com pitadas de humor, forte interação com o público, momentos explosivos e momentos contemplativos, ‘Grand Bazaar – II’ é um retrato da sonoridade cuidadosa, divertida e envolvente que a banda construiu ao longo dos últimos anos e também da sua capacidade de fluir e brincar com naturalidade entre diversas culturas, climas e tradições.


Com Gabriel Millet (flauta e saxofone), Filipe Nader (saxofone), André Vac e Juliano Abramovay (cordas brasileiras e cigana), Tomás de Souza (sanfona), Guilherme de Almeida (baixo) e Gabriel Basile (bateria).



Entrada: R$35

Happy Hour: chegando entre 17h e 20h pague somente R$25

sábado | 10_06 12h30

JazzBB Junino com Felipe Machado

Um brunch para famílias com bebês e crianças pequenas ao som de um jazz de primeira! Na casa, toda a infraestrutura para receber os pequenos ouvintes: show com volume reduzido, banheiro com trocador, tapetes no chão e muito mais. Traga seu filhote para degustar boa música desde cedo!


Em junho, todos os sábados terão a série especial de JazzBB Junino. Às tardes de música e gastronomia para toda a família, vêm em clima e sabor de uma das mais importantes e queridas festas tradicionais de nosso país. Nesta tarde, recebemos o jovem talento Felipe Machado. 


Avô e neto dividem o palco com suas vozes e 2 violões na ótima companhia do pianista Fabio Leandro. Juntos os três interpretam obras da música brasileira, canções autorais de Filó Machado e temas clássicos de forró – sempre criando harmonizações e arranjos originais. Teremos ainda a participação especial do percussionista Rafael Lourenço!


Felipe estuda música com bolsa integral no conceituado Conservatório Souza Lima. Há alguns anos passou a tomar aulas de reforço com o avô e, ao longo de seus estudos diários, tornou-se parceiro musical de Filó e com ele tem feito shows pelo Brasil e exterior. Porto Alegre, Tóquio e Seattle estão entre as cidades em que se apresentou em turnê.


Com Filó Machado, Felipe Machado (voz e violão), Fabio Leandro (piano).



Entrada: R$25 (adulto) | 11 a 15 anos: R$ 12,50 | Até 10 anos: gratuito

sábado | 10_06 22h

Walmir Gil Quinteto

Standards de jazz e da música instrumental brasileira. Walmir Gil, um dos mais notáveis trompetistas brasileiros e um dos fundadores da Banda Mantiqueira, apresenta-se com seu quinteto no JazzB formado por um excelente time.


Walmir começou a tocar trompa com 10 anos de idade, na banda de música, da qual o regente era seu avó. Na mesma banda, mudou de instrumento e passou para o trompete. Mudou-se para Santos e lá começou sua carreira profissional tocando em bandas de baile. Transferiu-se para São Paulo e, tocou na banda do Maestro Branco que animava as noitadas do saudoso Ópera Cabaré.


Requisitadíssimo, Walmir participou de inúmeros shows e turnês no Brasil e exterior, acompanhando: Sadao Watanabe, César Camargo Mariano,Caetano Veloso, Djavan, Gal Costa, Roberto Carlos, Angela Maria, Cauby Peixoto, Nelson Gonçalves, Raul Seixas, Clube do Balanço, Seu Jorge, Chris Wells, BenyCarter, John Williams, Anita O’Day, Bobby Short, Orquestra de Jazz Sinfonica, entre outros.


Com os discos lançados pela Banda Mantiqueira, o grupo foi nomeado ao Grammy Award em 1997 (CD Aldeia) e pelo Latin Grammy em 2007 (CD Terra Amantiquira); e foi vencedor do premio Tim de Musica em 2006, (CD Terra Amantiquira). Em Londres gravou, dois CDs – “PASSAPORTE e NOVAS HISTORIAS” que tem merecido elogios da crítica especializada.


Entre os temas, apresentará composições autorais e standards de João Donato, Miles Davis, Herbie Hancock e Tom Jobim. Noite para curtir muito jazz! 


Com Walmir Gil (trompete), Josué dos Santos (sax), Jarbas Barbosa (guitarra), Thiago Alves (contrabaixo) e Max Sallum (bateria).


Entrada: R$35

1° set: 22h 2° set: 23h45

sábado | 17_06 22h

Tito Martino Jazz Band

O saxofonista e clarinetista paulistano Tito Martino é sem dúvida um dos pioneiros do jazz no Brasil e virá com a Tito Martino Jazz Band apresentar o autêntico jazz tradicional de raiz, tal como era tocado por Louis Armstrong, Benny Goodman e Duke Ellington.


O grupo formado por Tito Martino (clarinete e saxofones), Ari Giorgi (piano), Ricardo Baldacci (jazz-guitar), Ricardo Ramos (contrabaixo) e Billy Ponzio (bateria) não reproduz a maneira de tocar das antigas jazz bands, dedica-se a criam interpretações novas, atuais, respeitando as raízes musicais do jazz, do mesmo modo como no xadrez cria-se novas jogadas respeitando as regras do jogo.


Tito Martino apresentou-se em Festivais Internacionais de Jazz em New Orleans - nos quais sua banda foi considerada a melhor banda estrangeira -, em Askersund e Linkoping (na Suécia), Ascona (Suíça) e também em Washington, New York, Miami, Paris, Viena, Estocolmo, Buenos Aires, Saint Louis, Chicago e Lyon. Já tocou com grandes músicos como Hermeto Pascoal, Elis Regina e César Mariano, Teddy Wilson (pianista de Benny Goodman), Oscar Peterson, e John Pizzarelli.


Tito Martino recebeu críticas elogiosas no Washington Post e no New York Times.  Foi o fundador e líder durante 20 anos do Traditional Jazz Band, criou e dirigiu a lendária casa de Jazz OPUS 2004 nos anos 70/80, produziu e apresentou programas de Jazz na Rádio e TV Cultura. Além disso gravou 8 LPs e 5 CDs.


Bom humor, musicalidade, liberdade das improvisações individuais e coletivas são as marcas do conjunto, mas principalmente a honestidade com que exibem sua arte e o seu conhecimento verdadeiro das raízes do jazz.


“Eu quero ser simples. Quero me comunicar com simplicidade. Eu toco o jazz não sofisticado - o jazz que lava a alma! ”, Tito Martino.


Com Tito Martino (clarinete e saxofones), Ari Giorgi (piano), Ricardo Baldacci (jazz-guitar), Ricardo Ramos (contrabaixo) e Billy Ponzio (bateria).



Entrada: R$35

quarta | 21_06 21h

Escalandrum

Um dos mais renomado grupos argentino, ESCALANDRUM, criado por Daniel “Pipi” Piazzolla, neto de Astor Piazzolla, apresenta-se no JazzB pela primeira vez, em única noite. 

O nome do grupo surgiu da mistura de “Escalandrún” (uma espécie de tubarão que “Pipi” pesca com seu pai Daniel, atividade familiar iniciada pelo avô), e “drum (tradução de “tambor” em inglês). Com 15 anos de carreira, o grupo possui 8 álbuns autorais lançados e tem se apresentado nos principais teatros da Argentina, Espanha e América Latina, dividindo palco com reonomados artistas como Enrico Rava, Dave Holland e John Scotfield; e foi colocado pela Fundación Konex, entre os 100 mais destacados na última década da música popular Argentina. 

Em 2011 editam o notável Piazzolla Plays Piazzolla, disco único que une o tango e o jazz de uma maneira muito fluida. É o tributo de ESCALANDRUM ao grande Astor Piazzolla. ESCALANDRUM apresentou oficialmente este disco em Buenos Aires, no teatro Gran Rex para 3000 pessoas, contando com as participações especiais de Paquito D ́Rivera, recebendo uma ampla aceitação do público e jornalistas como nunca antes tinha tido um grupo de jazz ou tango na Argentina.

Em 2012 receberam a nominação aos Latin Grammy Awards na categoria “Melhor Album Instrumental”, competindo na mesma categoria com Chick Corea e Al Di Meola. No mesmo ano ESCALANDRUM fez uma turnê mundial que incluiu duas turnê pela Europa, Israel, e uma serie de ações em Nova York onde o ponto mais alto foi o show no mítico “Birdland” junto a cantora Ute Lemper e Paquito D` Rivera.

O projeto “Piazzolla Plays Piazzolla” ganhou ainda 3 vezes nos Prêmios Gardel (os prêmios mais importantes da música na Argentina), como “Melhor álbum de Jazz”, “Melhor álbum do ano” e o aclamado “Gardel de Ouro”. Este último premio foi ganho por grandes da música Popular Argentina como Mercedes Sosa, Luis Alberto Spinetta, Charly García e Fito Páez.

Seu mais recente trabalho autoral, “Vertigo”, contém composições originais e um som próprio, sem perder a tradição do jazz. Atualmente dedicam-se ao próximo disco, que contará com participações de artistas brasileiros.

Com Daniel “Pipi‟ Piazzolla (batería), Mariano Sívori (contrabaixo), Martín Pantyrer (clarinete baixo e sax barítono), Nicolás Guerschberg (piano), Damián Fogiel (sax tenor) e Gustavo Musso (sax alto e sax soprano).



Entrada: R$45